Procurar:
Histórico

A fundação da Escola Paulista de Medicina ocorreu no ano de 1933. Entre os médicos fundadores encontrava-se o Dr. Antonio Carlos Pacheco e Silva, que se tornou responsável pela Clínica Psiquiátrica e foi designado primeiro catedrático.

O primeiro curso de psiquiatria foi ministrado para a turma do sexto ano médico, em 1938. No ano seguinte, a diretoria da EPM recebeu autorização do diretor do Serviço de Assistência aos Psicopatas do Estado, Dr. Milton Penha, para que o curso pudesse ser realizado nos Hospitais do Juqueri e das Perdizes. O curso era composto de aulas teóricas e práticas, projeções de filmes e exame de peças anatomopatológicas.

A cátedra do Prof. Dr. Antonio Carlos Pacheco e Silva estendeu-se durante o período de 1933 a 1963, e ele foi reconhecido como psiquiatra de renome nacional e internacional, conquistando a presidência da World Federation for Mental Health. Ocupou inúmeros cargos científicos e políticos, entre eles o de Deputado à Assembléia Estadual de São Paulo e o de Diretor do Juqueri.

O segundo professor catedrático do Departamento foi o Prof. Dr. Darcy de Mendonça Uchôa, que venceu concurso público com a tese "Psicodinâmica da Depressão". Sua cátedra estendeu-se de 1964 a 1977. Psicanalista pela Sociedade Brasileira de Psicanálise de São Paulo, incorporou ao currículo da graduação temas sobre o Inconsciente Dinâmico. Foi responsável pela ampliação da estrutura do Departamento no ensino e assistência, além do espaço físico e do quadro de profissionais por meio de convênio com a Secretaria de Saúde. Em 1965, fundou o Centro de Estudos da Clínica Psiquiátrica, atual Centro de Estudos Paulista de Psiquiatria (CEPP). Em 1967, promoveu a criação do Boletim de Psiquiatria, revista que foi indexada no Índex Médicus Latino Americano. Também em sua gestão, no ano de 1973, foi criada a Residência Médica em Psiquiatria.

Entre 1977 e 1982, a chefia do Departamento coube ao Prof. Dr. Maurício Levy Junior. Durante este período, extinguiu-se a cátedra e, em 1978, o professor Maurício tornou-se Professor Titular do Departamento de Psiquiatria.

Prof. Dr. Marcos Pacheco de Toledo Ferraz assumiu a chefia do Departamento de Psiquiatria em 1982, permanecendo no cargo até 1983, quando foi nomeado Coordenador de Saúde Mental da Secretaria da Saúde do Estado de São Paulo. Suas atividades junto à reformulação das políticas de Saúde Mental, bem como na presidência da Associação Brasileira de Psiquiatria mudaram o rumo da Psiquiatria em nosso país. O Prof. Marcos apesar das atividades societárias e políticas continuou contribuindo com Departamento Apresentou seu doutorado em1982, tornou-se Professor Titular em 1989 e foi eleito Reitor Pró Tempore da Universidade Federal de São Paulo -UNIFESP em 01 de setembro de 2008 permanecendo até 06 de fevereiro de 2009 , data de sua aposentadoria compulsória.

Em 1983, com o afastamento do Prof. Dr. Marcos Pacheco de Toledo Ferraz, assumiu a chefia do Departamento o Prof. Dr. Itiro Shirakawa. Sua gestão estendeu-se de 1983 a 1991. Neste período houve grande expansão do Departamento. No campo da assistência houve a abertura efetiva da Unidade Psiquiátrica do Hospital São Paulo (1983); a criação de vários ambulatórios específicos de Transtornos Mentais, como o ambulatório de Doenças Afetivas, atual PRODAF e ambulatório de álcool e drogas, atual PROAD. Na área de ensino, o Departamento ampliou sua carga horária na graduação médica, ministrando aulas do 1 ao 5 ano médicos. Foram criados Cursos de Extensão Latu-Sensu em Especialização em Psicologia, Terapia Ocupacional e Serviço Social. O Curso de Pós-Graduação em Psiquiatria foi aprovado no ano de 1987. Quanto aos profissionais lotados no Departamento, houve significativo aumento, em 1983 o Departamento contava com 72 pessoas e em 1988 este número já era de 103 profissionais. No ano de 1989 apresentou seu doutorado e no mesmo ano passou no concurso para Professor Titular do Departamento de Psiquiatria da Escola Paulista de Medicina - EPM, mantendo sua atuação junto ao Programa de Esquizofrenia da Unifesp - Proesq e na Enfermaria, mesmo depois da sua aposentadoria em 1995.

Prof. Dr Miguel Roberto Jorge exerceu a chefia do Departamento de Psiquiatria de 1992 a 1994. Dentre as principais realizações neste período, pode-se ressaltar o início de uma reforma administrativa e acadêmica com a contratação de um consultor externo, a criação de um setor de psicoterapia (antes, atividade de ensino aos residentes ministrada por diferentes profissionais, sem uma coordenação central), o credenciamento da Pós-Graduação pela CAPES e do Departamento como Centro de Pesquisas Clínicas pelo Conselho Nacional de Saúde. Como consequência da consultoria externa e das discussões que se seguiram a ela, foi lançada a base para uma divisão real do Departamento em Disciplinas, à semelhança do que já ocorria em outros Departamentos da EPM, o que posteriormente se mostrou acertado para a contemporização de diferenças e um crescimento vertiginoso das atividades de ensino, pesquisa e assistência.

Em 1995, foi eleito para chefia o Prof. Dr. Luiz Antonio Nogueira Martins, permanecendo por dois mandatos, até o ano de 2000. Neste período houve a significativa mudança organizacional com a efetiva criação da Disciplina de Psicoterapia e Psicodinâmica em 1996 que juntamente com as Disciplinas de Psiquiatria Clínica e de Psicologia Médica e Psiquiatria Social passaram a constituir a estrutura acadêmica do Departamento de Psiquiatria. Entre 1996 e 1997 ocorreram concursos para 03 (três) novos cargos de professor titular. Venceram os concursos os Professores Dr Jair de Jesus Mari, posteriormente Dr José Alberto Del Porto e Dra Latife Yazigi. Na assistência ocorreu a expansão com formação de novos serviços como Napreme (Núcleo de Assistência e Pesquisa em Residência Médica), Proata (Programa de atendimento em Transtornos Alimentares), Projeto Quixote (programa de atendimento a crianças em situação de rua), Nemap (Núcleo de Estatística e Metodologia Aplicadas), Unidades de Saúde Mental do Hospital Geral de Pirajussara e Hospital Geral de Diadema e reabertura do Hospital-Dia. Em sua gestão foram publicados 04
(quatro) números da revista Psiquiatria na Prática Médica, esta veio substituir o Boletim de Psiquiatria, órgão oficial do Centro de Estudos do Departamento de Psiquiatria editado até o ano 2000.

Prof. Dr. Sérgio Luiz Blay assumiu a chefia em 2001 permanecendo até 2003. Neste período várias atividades foram realizadas. Uma delas foi alinhar o funcionamento do departamento com as profundas alterações do funcionamento universitário promovidas com a eleição do novo reitor Prof. Dr. Ulysses Fagundes Neto em substituição ao Prof. Dr. Hélio Egydio Nogueira. O novo regulamento universitário extinguiu aproximadamente 40 cargos de profissionais bolsistas que exerciam ativa atuação no departamento. Entre outras realizações destacam-se as reformas na planta física, instalação de novo sistema de telefonia, de ar condicionado, modernização com a troca de todos os computadores do setor de pesquisa e informática e para alguns docentes, gestões para as reformas, implantação e inauguração das casas de atendimento clínico do PRODAF, Centro Clínico para Pesquisa em Psicoterapia, gestões junto à Prefeitura da Cidade de São Paulo para a transformação do antigo Centro de Estudos do Departamento de Psiquiatria em órgão de utilidade pública municipal e junto ao governo federal para a transformação do mesmo centro em entidade filantrópica; reforma da enfermaria de psiquiatria no Hospital São Paulo, que promovia atendimento exclusivamente feminino adaptando-a para o atendimento misto isto é, masculino e feminino.

Prof. Dr. José Cássio do Nascimento Pitta foi eleito chefe do Departamento em 2004, permanecendo por dois mandatos até março de 2010. Nesse período o número de vagas para a Residência Médica em Psiquiatria aumentou, passando de seis para doze, assim como ocorreu a ampliação do programa, passando de dois para três anos. Foram aprovados também os programa das residências multiprofissionais nas áreas de Saúde Mental e Hospitalar. Na assistência foi criado o UPIA (Unidade de Psiquiatria da Infância e Adolescência) e formalizado convênio junto á Secretaria de Saúde do Estado para a coordenação e administração do CAPS( Centro de Atenção Psicossocial) Itapeva, o que permitiu a expansão de vários serviços. Houve a inauguração do LiNC (Laboratório Interdisciplinar de Neuroimagem e Cognição (LiNC), vinculado ao Programa de Pós-Graduação do Departamento. A expansão do quadro de docentes ocorreu por meio de concurso para 4 vagas para o cargo de professor adjunto e 1 vaga para professor titular. Venceu o concurso para Professor Titular o Dr Ronaldo Laranjeira. Ao término do primeiro mandato houve a realização de Planejamento Estratégico para redefinir a estrutura do Departamento. Em dezembro de 2008 ocorreu a mudança das instalações do Departamento para o atual endereço, prédio da Rua Borges Lagoa 570, permitindo melhores condições estruturais e organizacionais para as atividades de ensino, assistência e pesquisa

Em 2010 foi eleito novamente o Prof. Dr. Luiz Antonio Nogueira Martins que permaneceu no cargo por um período de 3 meses, necessitando afastar-se . Em novas eleições foi eleita a Profa Dra Julieta Freitas Ramalho da Silva que assumiu a chefia do Departamento em julho de 2010.

Professora Dra. Julieta Freitas Ramalho da Silva assumiu a chefia do Departamento de Psiquiatria da UNIFESP, para o período entre julho de 2010 e junho de 2013, sendo o Professor Dr. Sergio Baxter Andreoli o vice-chefe.

Há época o Departamento contava com 18 docentes e durante esta gestão ocorreu à admissão de mais dois docentes concursados, as Prof. Dras. Elisa Brietzke e Sheila Caetano. O quadro funcional contava ainda com 19 professores afiliados, 70 médicos, psicólogos e assistentes sociais. Estes profissionais eram responsáveis pelo ensino dos seis anos do curso de graduação médica, 43 residentes a cada ano, 15 estagiários e 150 alunos em Pós-graduação. O curso de Pós-graduação, coordenado pelo Prof. Dr Jair de Jesus Mari, passou da nota 5 para a 6 na avaliação trienal da CAPES.

A gestão foi marcada por mudanças tanto estruturais, como nos conteúdos programáticos das atividades de ensino. Do ponto de vista estrutural a criação de um Conselho Gestor, ligado à chefia do Departamento, possibilitou mais agilidade na administração e a concretização de reformas importantes. Dentre elas, a reestruturação das disciplinas com a criação de mais duas. Em maio de 2012, o Departamento passou a ser constituído por cinco disciplinas: Psiquiatria Clínica; Psicoterapia e Psicologia Médica; Política em Saúde, Álcool e Drogas; Neurociências e Desenvolvimento; e Infância e Adolescência. No plano do ensino, se destacam as reformas nos programas da Residência Médica e Internato Médico. Outras ações que merecem destaque foram a reformatação da página do Departamento na internet e a retomada das reuniões clínicas semanais, abertas a todos, as quais incluíram apresentações de discussão de casos clínicos e científicas.


    •   

       

       

       




  •   Referência em ensino deste 1933

      Cadastra-se

    Copyright © 2017, Universidade Federal de São Paulo
    Direitos Autorais | Privacidade

       Departamento Psiquiatria - Universidade de São Paulo  


       
       Endereço: Rua Borges Lagoa, 570 - Vila Clementino , São Paulo - CEP: 04038-020
       Contato: secretaria do Departamento (11) 5576-4990

       Horário de funcionamento: Segunda à Sexta, das 8h às 17h